quinta-feira, setembro 22, 2016

Os faroestes 'B' de A. C. Lyles

O seu amigo aqui estava pesquisando a respeito de faroestes americanos realizados nos anos 60 e se deparou com alguns filmes que compartilham a presença de atores cujos nomes me chamaram a atenção. Seus elencos possuem veteranos como Dana Andrews, Rory Calhoun, Lon Chaney, John Ireland, Barry Sullivan [que ainda deu uma escapadinha para trabalhar na Itália com o Mario Bava e Norma Bengell em "O Planeta dos Vampiros"], Howard Keel, Brian Donlevy, Jane Russell, Linda Darnell, Richard Arlen, Scott Brady, Pat O' Brien, Broderick Crawford, Tab Hunter e Virginia Mayo cujas carreiras tinham passado do auge (muito por causa de suas idades na época, infelizmente...) e atores que ainda ganhariam fama como Yvonne DeCarlo e DeForest Kelley. Notei ainda um nome familiar que sempre se repetia nos cartazes: o do lendário A. C. Lyles, produtor do maravilhoso "A Noite dos Coelhos", também estrelado justamente por Rory Calhoun e DeForest Kelley.

A. C. Lyles, Jane Russell e Howard Keel no set de "Dilema de um Bandido"

Aí eu cavo mais fundo e descubro que esses filmes são parte de uma série de 13 faroestes de baixo orçamento realizados pelo Lyles para a Paramount entre 1964 e 1968. Isso mesmo, 13 filmes em 4 anos. E todos a cores! Lyles se utilizou do processo Techniscope criado pela Technicolor Italia que usava um A/R de 2:33 que era enlargado para 2:39 na pós-produção e com isso, se gastava metade do filme que antes seria consumido por uma Panavision para rodar esses westerns. 

O Techniscope teve grande emprego nos filmes europeus de horror e 'spaghetti westerns' e Lyles certamente deve ter sido o produtor que mais o empregou nos EUA durante os anos 60. A maior parte desses 13 títulos foram dirigidas por R. G. Springsteen e Lesley Selander, diretores que já possuiam uma longa filmografia de westerns 'B' e seriados e que não passariam do cronograma e do orçamento.

A. C. Lyles faleceu em 2013 aos 95 anos e encerrou sua carreira como produtor sendo consultor na série "Deadwood" da HBO.

Seguem abaixo, os pôsters de divulgação da série de 13 westerns 'B' produzidos por A. C. Lyles para a Paramount. Eles chegam a limpar a nossa vista das artes sem qualquer inspiração e criatividade que infestam a Internet e as salas de cinema nos dias de hoje. Não assisti a nenhum desses filmes. E você? Chegou a conferir algum?

"O Juiz Enforcador" (1964)
"Diligência para o Inferno" (1964)




"A Vingança do Foragido" (1964)
"O Pistoleiro de Esporas Negras" (1965)
"O Domador de Cidades" (1965)
"A Rebelião dos Apaches" (1965)
 
 "Duelo no Oeste" - disponível em DVD como "Johnny Reno" - (1966)
"Dilema de um Bandido" (1966)
"Depois do Massacre" (1967)

 "Fort Utah" (1967)

"Gatilhos do Ódio" (1967)
"Pistoleiros do Arizona" (1968)
"O Perigo Caminha a Meu Lado" (1968)

quarta-feira, setembro 14, 2016

Lançamentos da Obras-Primas do Cinema para Outubro/16

Como sempre, em 1a. mão para todos vocês, os lançamentos da Obras-Primas do Cinema para o mês de Outubro. Devo confessar que para esse mês em particular eles arrebentaram, estouraram a boca do balão, foram o pipoco do trovão!! :D

* com informações da assessoria *


Mishima: Uma Vida em Quatro Tempos
Edição Especial de Colecionador

Obras-Primas do Cinema apresenta: MISHIMA: UMA VIDA EM QUATRO CAPÍTULOS, é uma obra co-escrita e dirigido por Paul Schrader. O filme é baseado na vida e obra do escritor japonês Yukio Mishima, entrelaçando episódios de sua vida com dramatizações de segmentos de seus livros (The Temple of the Golden Pavilion, Kyoko’s House e Runaway Horses). Com produção e execução de Francis Ford Coppola e George Lucas, fotografia de John Bailey, cenários e figurinos requintados por Eiko Ishioka e a trilha sonora inesquecível de Philip Glass - todos eles vencedores do Prêmio de Melhor Contribuição Artística no Festival de Cannes 1985.

Cruzamento de dados biográficos do escritor japonês Yukio Mishima com trechos narrativos extraídos dos seus próprios romances e contos, que investiga a turbulência interna e contradições de um homem que tentou alcançar uma harmonia impossível entre si, a arte e a sociedade. Como sugere o título, o filme é dividido em quatro partes: “Beleza”, “Arte”, “Ação” e “Harmonia da caneta e da espada”.
 
 - Extras: Criando Mishima (43 Minutos); A produção de Mishima: Uma Vida em Quatro Tempos (21 Minutos); Entrevista com John Nathan e Donald Richie (26 Minutos). Trecho de uma entrevista com Mishima (6 Minutos).
 

O Portal do Paraíso
Edição Definitiva – DVD Duplo




Obras-Primas do Cinema apresenta: O PORTAL DO PARAÍSO. Um dos filmes mais caros da história do cinema, em uma descrição de tirar o fôlego da promessa e os perigos da expansão ocidental dos Estados Unidos, esta obra dirigida por Michael Cimino, está entre os épicos mais ambiciosos e pouco ortodoxos de Hollywood. Pela primeira vez em DVD no Brasil em edição especial com 2 DVDs! 
 
DISCO 01: Filme
A história decorre durante a Guerra do Condado Johnson, entre os barões do gado e imigrantes europeus na década de 1890, no Wyoming. Os dois protagonistas encontram-se questionando seu papel no conflito furioso entre ricos proprietários de terras e imigrantes europeus que tentam construir uma nova vida na fronteira americana, que culmina em uma batalha campal brutal. A batalha resultante é baseada no sangrento e real conflito de “Johnson County War” de 1892.

DISCO 02: Material Extra
Entrevista com o Diretor e o Produtor; Entrevista com Kris Kristofferson, Entrevista com David Mansfield, Entrevista com Michael Stevenson; Demonstração de Restauração; Teaser e Spot de TV.
  

Coleção Dose Dupla
Lucille Ball



Obras-Primas do Cinema apresenta COLEÇÃO DOSE DUPLA - LUCILLE BALL, em dois clássicos inéditos em versões restauradas: LUA DE MEL AGITADA (1953). O filme foi adaptado por Albert Hackett e Frances Goodrich de um romance de Clinton Twiss, com a assistência creditado a partir da escrita pessoal I Love Lucy. OS MEUS, OS SEUS E OS NOSSOS (1968). Comédia baseada no livro Who Gets the Drumsticks? de Helen Eileen Beardsley e em história de Madelyn Davis e Bob Carroll Jr.


- Lua de Mel Agitada (The Long, Long Trailer, 1953, 96 min.)
Nicky e Tacy se casam e compram um trailer, onde saem em lua de mel. O humor vem de várias aventuras desastrosas do inexperiente casal, incluindo a tentativa desajeitada de Tacy em cozinhar o jantar em um trailer em movimento, um passeio através das montanhas que quase destrói seu casamento e muitas aventuras.
(Idioma: Inglês / Legendas: Português - Inglês/ Formato: 1.37:1).

 - Os Seus, Os Meus, Os Nossos (Yours, Mine and Ours, 1968, 111 min.)
Uma viúva com oito filhos casa com um viúvo que tem dez filhos. Eles procuram uma casa que possa abrigá-los e precisam resolver os inúmeros problemas que inevitavelmente aparecem numa família tão numerosa.
(Idioma: Inglês / Legendas: Português - Inglês / Formato: 1.33:1).

- Extras: Curta-Metragem: Ain't It Aggravatin (8 minutos); Trailer Original Lua de Mel Agitada (3 Minutos) Trailer original Os Seus, Os Meus, Os Nossos (3 Minutos).

sexta-feira, setembro 02, 2016

Lançamentos da Classicline em Setembro/16

Se você é apreciador(a) de filmes de Faroeste, Guerra, Épicos e Comédias Românticas dos chamados "tempos de ouro" do cinema, é bem provável que você possua - pelo menos - de 5 a 10 DVDs da Classicline na sua coleção. Anuncio com prazer que também falarei de alguns dos títulos lançados por essa distribuidora especial que certamente tem mais de uma década de estrada no mercado de home video. E a sua sede não está localizada no eixo Rio-SP mas em Fortaleza/CE. Ou seja, a Classicline é Nordestina como esse rapaz que vos fala e claro, o Vá e Veja. ;-)

Seguem abaixo os lançamentos previstos para este mês de Setembro que chegarão nas melhores lojas.



quarta-feira, agosto 31, 2016

DVD: "Profissão, Ladrão" (Thief, 1981)


A Obras-Primas do Cinema entrega uma Edição Especial de Colecionador aos antigos e futuros admiradores desta obra-prima do cinema policial norte-americano. Boa parte da força do primeiro longa para cinema de Michael Mann (“O Último dos Moicanos”, “Fogo Contra Fogo”, “Miami Vice”, “Inimigos Públicos”) reside em um excelente James Caan como Frank, um ladrão de extremo profissionalismo e seguidor de um rígido código de honra, um sujeito de poucos amigos que não tem o que perder na vida.

Mann também não perde tempo ao introduzir a rotina deste personagem ao espectador com muita eficiência logo nos créditos iniciais, apresentados durante uma cena de roubo onde os diálogos são quase inexistentes. Essa abertura joga o espectador no mundo em que essa personagem vive, um mundo em que pessoas reagem de maneiras difíceis de serem compreendidas por pessoas “comuns”, que tiveram boa criação e tem a sorte de contar com o apoio de uma família. Não é o caso de Frank que viveu a maior parte de sua vida atrás das grades, assim como Okla (Willie Nelson), o seu mentor. 


Em uma bela cena, Frank vai à cadeia visitar esse homem que é o mais próximo que o personagem teve de um pai e diz a ele que conheceu uma garota. “Você se casará com ela?”, é a primeira pergunta que Okla o faz. Ele não perguntou se Frank a achou bonita, aonde a moça trabalhava, se ela era boa de cama, ele perguntou se o sujeito se casaria com ela. Porque a única maneira para homens como eles se encaixarem de alguma forma na sociedade é se casando e tendo filhos. Frank guarda na carteira uma colagem de fotos de revista que expressa o seu ideal de felicidade, a procura por uma vida melhor, pacífica e com uma família depois de realizar um último golpe que o fará ter tudo isso.


Não é para menos que ele se envolve em um roubo organizado por Leo (Robert Prosky, em sua estréia no cinema aos 51 anos de idade) e, ao mesmo tempo, se dedica a conquistar o coração da garçonete Jessie (Tuesday Weld). Em outro momento marcante do filme, vemos Frank se abrir por completo para essa mulher. É uma cena incrível. O famoso intérprete de Sonny Corleone inclusive declara o quanto tem orgulho dela na recente entrevista que se encontra nos extras deste DVD.

Além de Prosky, Dennis Farina, John Santucci, John Kapelos e William Petersen (o astro de "Dragão Vermelho" e “Viver e Morrer em Los Angeles") também estreiaram no cinema em “Profissão, Ladrão”. Mann se utilizou da ajuda de ladrões da vida real para dar mais autenticidade às cenas de roubo e alguns deles interpretaram policiais, enquanto ex-policiais interpretaram bandidos. John Santucci interpreta Urizzi, um policial corrupto, mas ele também trabalhou como consultor técnico no filme por ter sido ladrão de jóias no passado. Dennis Farina foi ex-policial e participa como um dos capangas de Leo.


“Profissão, Ladrão” é uma obra que já aponta diversas características e temas que seriam revisitados nos próximos filmes de Michael Mann (sua obsessão com a autenticidade; a linha tênue entre policiais e criminosos; personagens que buscam redenção por seus pecados), assim como o rico cuidado visual e sonoro que também se tornaria uma assinatura do trabalho do diretor.


O DVD da Obras-Primas do Cinema apresenta o filme em versão restaurada e integral com som e imagem de qualidade superiores ao que se tinha até hoje na casa de alguns colecionadores, o DVD americano da MGM lançado há uma década atrás. As imagens utilizadas para ilustrar essa resenha foram tiradas do próprio disco.

Extras: trailer original de cinema, uma entrevista do ex-crítico chefe da Variety Scott Foundas com Michael Mann (25 minutos) e entrevistas com James Caan (10 minutos) e Johannes Schmoelling (15 minutos), ex-integrante do Tangerine Dream, grupo responsável pela excelente trilha sonora do longa e que viria a trabalhar novamente com Mann em “A Fortaleza Infernal”. Sem falar, claro, do tradicional card com uma cena do filme ou foto de publicidade que sempre acompanha os DVDs da distribuidora.

Tenho apenas 2 críticas em relação a esse DVD:

1 - A legendagem poderia ter sido melhor revisada. Existem momentos onde algumas frases podem até estar com uma tradução ok mas não fazem muito sentido naquela cena em particular. Esse também é o caso nos extras onde as falhas estão mais evidentes nas entrevistas com Mann e Caan. Creio que os tradutores fizeram essas duas legendas a partir do áudio. Mas trata-se de um problema observado não apenas em lançamentos de distribuidoras independentes como em ‘majors’ também. Pelo menos, não é o caso de reconhecer os mesmos erros de português, digitação e tradução de uma legenda disponibilizada na Internet. Pode acreditar que isso já aconteceu comigo mais de uma vez. 

 2 – O vídeo da entrevista com James Caan é um 4:3 (fullscreen) ‘esticado’ para ser 16:9 (wide). Não sei dizer se foi uma falha na autoração ou foi proposital. De qualquer jeito, enviei essa observação para o pessoal da distribuidora. Vejam o comparativo abaixo.  

Entrevista no DVD da Obras-Primas
Entrevista com o A/R modificado para ser assistida em 4:3

Apesar dessas duas ressalvas, o DVD da Obras-Primas do Cinema continua recomendável a todos que desejam ter o filme em sua coleção. A qualidade de som e imagem está bem satisfatória e superior ao disco americano da MGM e as entrevistas de Mann, Caan e Schmoelling são excelentes, apresentam um total de quase uma hora de duração e certamente agradarão a quem adquirir o disco.  

Screenshots:

 
 
 
 
Filme: *****
Extras: ****
DVD: ****

Profissão, Ladrão - Edição Especial de Colecionador na loja Colecione Clássicos

Profissão, Ladrão - Edição Especial de Colecionador na Livraria Cultura

segunda-feira, agosto 22, 2016

Unboxing: Digistack "Trilogia Guerra e Humanidade"

Uma das melhores coisas que eu fiz na semana passada e - seguramente - com a minha vida ao longo desse ano de 2016 foi começar a assistir "Guerra e Humanidade". Trata-se da famosa trilogia pacifista dirigida por Masaki Kobayashi e protagonizada por um comovente Tatsuya Nakadai como Kaji, o personagem que comerá o pão que o diabo amassou ao longo dos três filmes. O garotão aqui imaginava que não tinha como o Kobayashi ter outra obra-prima depois de ter visto os fascinantes "Kwaidan" e "Harakiri". Puro engano. Me encontro na metade dessas quase 10 horas do mais puro cinema e elas estão gerando um impacto na minha pessoa semelhante ao de quando assisti ao "Vá e Veja", simplesmente o filme cujo título batizou esse blog.

Estou assistindo a trilogia através do digistack com 3 DVD's lançado neste ano pela Obras-Primas do Cinema. Além dos longas, temos extras como trailers originais e entrevistas com Kobayashi, Nakadai e o também realizador e entusiasta da obra de Kobayashi, Masahiro Shinoda. Falarei mais sobre os discos e os filmes em outro momento mas por hora, segue esse 'unboxing' do digistack para vocês conferirem logo abaixo:






A trilogia encontrava-se inédita no nosso mercado de home video e é, desde já, um dos maiores lançamentos de 2016. O digistack pode ser adquirido nas melhores lojas físicas do mercado e também em lojas virtuais, como a Colecione Clássicos e a da Livraria Cultura.